O Grupo de Estudos de Paisagem em Literatura (GEPLIT) consiste em um grupo de atuação no campo da pesquisa científica no Centro de Ciências Humanas da Universidade Federal do Maranhão, vinculado ao Grupo de Estudos de Paisagem nas Literaturas de Língua Portuguesa, devidamente cadastrado no CNPq, o qual é liderado pela Profa. Dra. Ida Maria Santos Ferreira Alves, da Universidade Federal Fluminense, tendo como colíder a Profa. Dra. Márcia Manir Miguel Feitosa, coordenadora do GEPLIT.

Com vistas a atender uma demanda interessada nos estudos e pesquisas em torno da interdisciplinaridade entre Paisagem e Literatura, tomou-se a iniciativa por criar oficialmente o GEPLIT, haja vista a significativa produção da Universidade Federal do Maranhão no tocante a essa interface, a exemplo das dissertações defendidas no Programa de Pós-Graduação em Cultura e Sociedade.

A criação do GEPLIT afigurou-se, portanto, como uma iniciativa de grande relevância no âmbito dos estudos literários, visto que se constitui em alternativa capaz de proporcionar a ampliação das ações do Centro de Ciências Humanas junto à comunidade acadêmica e à sociedade em geral, viabilizando tanto a aquisição de novos estudos que deem conta de tal interface, quanto aprimorando as pesquisas que promovam a interdisciplinaridade entre arte e ciência.

A realização deste I Encontro do Grupo, em âmbito internacional, com temática direcionada ao mundo vivido pelos excluídos socialmente, destituídos de lugaridade e pertencimento no contexto sociopolítico não só do Brasil, mas sobretudo, tem por objetivo contemplar uma das facetas mais importantes e atuais do GEPLIT, voltada para o que se concretiza fora dos muros universitários, onde a disputa pelos espaços de inclusão se revela cada vez mais acirrada e desigual. Interessa-nos o debate interdisciplinar com a geografia, mas também com a sociologia, a antropologia e com as artes de modo geral, haja vista a incidência impressionante deste raio de ação que semelhante temática propõe.

Assim, "O mundo vivido à margem - narrativas, geograficidade, deslocamentos" carrega em si elementos que fundamentam o debate interdisciplinar ao pensar, por exemplo, a ideia de "texto", de Barthes, para quem o texto "não pode parar; o seu movimento constitutivo é a travessia" (BARTHES, 2004, p. 67, grifo do autor). Nessa travessia, o texto assume uma carga significativa que capta as tensões, os sentimentos e os dilemas latentes de uma sociedade, aproximando-se do termo "narrativa", uma vez que representa o espaço no qual a experiência coletiva é revivida, rememorada. Com o fito de atingir tal rememoração, as narrativas são necessárias por conservarem toda a força do vivido que, ao ser recontado pelo poder da memória, rompe a película dos fatos e cria uma cultura reminiscente.

Em face da profunda conjunção de forças implicadas no século XXI em torno das ideias de pertencimento, lugaridade, identidade, exílio, deslocamento, justifica-se a realização do I Encontro Internacional de Estudos de Paisagem em Literatura. Evento que traz em seu bojo questionamentos que, embora já problematizados de forma tão contundentes por teóricos como Gilles Deleuze e Fêlix Guattari, apresentam-se como força latente da sociedade contemporânea, que ainda busca respostas para: "Quem pode manter e gerar a miséria, e a desterritorialização-reterritorialização das favelas, salvo polícias e exércitos poderosos que coexistem com as democracias?"(DELEUZE; GUATTARI, 2010, p. 138), ou: "Que social-democracia não dá a ordem de atirar quando a miséria sai de seu território ou gueto? Os direitos não salvam nem os homens, nem uma filosofia que se reterritorializa sobre o Estado democrático" (DELEUZE; GUATTARI, 2010, p. 138).

O convite, portanto, se estende a todos os interessados em problematizar com o Geplit essas e outras questões tão pertinentes ao nosso mundo contemporâneo. O I Encontro Internacional de Estudos de Paisagem em Literatura une-se ao I Seminário Páginas/Paisagens Luso-Brasileiras em Movimento: Rio de Janeiro e Lisboa, coordenado pela Profa. Dra. Ida Maria Santos Ferreira Alves (Universidade Federal Fluminense / CNPq / FAPERJ e Real Gabinete Português de Leitura), a ser realizado em final de maio de 2019, no Instituto de Letras / UFF - Niterói, RJ, e de cuja comissão científica faz parte também a Profa. Dra. Márcia Manir Miguel Feitosa (Universidade Federal do Maranhão/ PGCult/PGLetras).